sábado, 16 de fevereiro de 2008

Ser desprezível!

Sê,miseravelmente, dependente!
Depende do aconchego,depende da incerteza,da suposição entre terramotos de pensamentos arbitrariamente felizes,entrega-te à loucura e desfaz-te!
Morre amparado à certeza que experimentas-te o céu!
Deleita-te no subterfúgio do que consideras real e sente-te!
Entrega-te a faustosos desejos pelo nada que te conduzem ao todo,que anseia vorazmente pela tua sublime rendição.
O esplêndido,magnificente e concreto facto de viveres alimentando vontades próprias,desejos insaciáveis,paixões doentias,por sombras fantasmagóricas com a inocente e desconhecida garantia que te vão satisfazer,faz de ti mais mendicante de faculdades mentais do que otário.
Se te servir de consolo,essas mesmas sombras que, avidamente persegues acompanhar-te-ão
na passagem de túnel,que tanto temes,mas regressarão...provavelmente porque até elas se incomodam com a tua nobre companhia.
Vives dissimuladamente,abraçado à patética mas deveras reconfortante ideia de que és amado,venerado,idolatrado,respeitado,e não passas de um farrapo que até o vento se esqueceu de fazer voar para bem longe,só pelo regozijo de te ver sofrer a maior humilhação de que sempre fugiste: Seres Rejeitado!
Procuras razões que justifiquem a mediocridade de que és feito!
Vive do narcisismo e não acordes porque,e aqui se reflecte a minha eterna bondade por ti,não quero que sofras a merecida desilusão de que a pintura que de ti,continuamente,fazes não esteja ainda seca.Idealiza-te,sonha-te,inventa-te,espelha-te...porque a tela na qual te vês não será nunca igual,às tintas e ao pincel por ti usados.
A fulgência da apatia que te tenho é,igualmente comparada,à limpidez com que percepcionas o ser,incrivelmente estúpido que és!!!Não te odeio,porque o grau de indiferença que nutro por ti não me permite sequer sentir ódio...
És fugitivo de ti próprio quando tentas eclipsar o que de mais podre há em ti,só me resta agradecer pelo eclipse!
Definir-te seria qualquer coisa deste género:" Uma semelhança daquilo que considerámos como um ser,que mendiga humildemente por uma única refeição de oportunidade,para se sentar à mesa dos Senhores Do Conhecimento,sendo que este,se to fosse facultado seria um apelo urgente ao suicídio humano colectivo...

1 comentário:

Dreamer disse...

Penso q já tinha lido este texto! :P Mas os bons textos merecem sempre ser relidos e relidos, até sbermo-los d cor! ;)

Tens o dom d escrita, as palavras acompanham o teu pensamento e tu sbes cm t aproveitares delas! Amo esse teu dom! Tu consegues pôr uma pessoa tanto n céu d mundo cm m pior ds infernos, apenas com o uso q fzes das palavras! Por isso, menina, usa-as bem e sabiamente! :)))


ly*