segunda-feira, 3 de março de 2008

Deixa-me...

Deixa-me ir ao fundo e não me salves...
Deixa-me vislumbrar os momentos reais e acreditar que foram vividos...
Deixa-me pensar...
Deixa-me respirar,só por breves instantes...
Deixa-me sentir a mágoa que me fez crescer...
Deixa-me deixar de te ter ódio...
Deixa-me acreditar que foste e não ficaste...
Só hoje...
Hoje preciso de estar comigo própria e sentir-me...equacionar tudo,ponderar tudo,esquecer-me de tudo...e ir ao fundo sozinha...
Hoje,não quero que me eleves a um altar e me puxes o tapete sem me questionares...
Hoje,não quero a tua compaixão fingida...
Quero e preciso que me deixes ser eu...com defeitos,com feitios,com mudanças de humor,com caprichos meus,com necessidades,vontades,desejos muito próprios...muito meus...
Deixa-me morar no meu cenário,do meu lado imaginário...até que um dia eu mude a minha opinião...
Deixa-me fechar o meu mundo para visitações...
Deixa-me deixar de me lembrar de ti...
Deixa-me deixar de pensar no "e se..." e acreditar em mim...
Deixa-me recordar que fiz isto tudo por nada com tudo garantido...
Não tentes...Não penses...Não te aproximes...Não...

Deixa-me ter a certeza que te perdi nunca te tendo...

6 comentários:

Ramoa disse...

Deixa-me Rir

Deixa-me rir
Essa história não é tua
Falas da festa, do Sol e do prazer
Mas nunca aceitaste o convite
Tens medo de te dar
E não é teu o que queres vender

Deixa-me rir
Tu nunca lambeste uma lágrima
Desconheces os cambiantes do seu sabor
Nunca seguiste a sua pista
Do regaço à nascente
Não me venhas falar de amor

Pois é , pois é
Há quem viva escondido a vida inteira
Domingo sabe de cor
O que vai dizer Segunda-Feira

Deixa-me rir
Tu nunca auscultaste esse engenho
De que que falas com tanto apreço
Esse curioso alambique
Onde são destilados
Noite e dia o choro e o riso

Deixa-me rir
Ou então deixa-me entrar em ti
Ser o teu mestre só por um instante
Iluminar o teu refúgio
Aquecer-te essas mãos
Rasgar-te a máscara sufocante

Pois é, pois é
Há quem viva escondido a vida inteira
Domingo sabe de cor
O que vai dizer Segunda-Feira

Jorge Palma

Anónimo disse...

Eu deixo.te tudo minha amiga...dsd que nunca me deixes de brindar com a tua amizade.. :)*

Betania disse...

Caro anónimo;
Com amizade brindo sempre quem venha de alma e espírito aberto a desabafos desconcertantes,e a ideias "fugidias" como o próprio nome do blog indica.
Obrigada pelo comentário.
Volte sempre.

Anónimo disse...

Texto que diz muito...

Dreamer disse...

A ter conversas com anónimos! Hummm... Admirador secreto?? :P


E bé, sbes q eu t deixo td! ;)

ly best friend***

Diogo Lopes disse...

Texto muito creativo e dotado de talento! Sim senhor! ;)
Adoro o contraste de algumas frases! É simplesmente genuíno!
Concordo totalmente que por vezes precisamos da nossa solidão reflectiva, de modo a nos encontrarmos, como está escrito numa das tuas frases e que precisamos de ser nós próprios! Isso mostra que confias em ti e te amas! O que é transcendentalmente maravilhoso!
A última frase apesar de antitéctica...é implacável!
Pois também sei o que é perder alguém sem nunca ter vivido o amor com esse alguém!

Bjao