quarta-feira, 16 de abril de 2008

...

Por alguma razão,desconhecida até,tendemos a refugiar-nos nas verdades inconsequentes na expectativa de que um dia sejamos alvos potenciais de uma ilusão fragmentada.Mas se somos nós mesmos que criámos essa mesma ilusão,então só temos o que é merecido.Porque por alguma razão,esta conhecida à nossa consciência,desfazemo-nos numa atitude puramente reflectida e atingimos um patamar experimentado numa retrospectiva perspicaz mas fraudulenta...

2 comentários:

Anónimo disse...

Olá,como te disse vinha para aqui cuscar o que te vai nessa alma.Nem te vou dizer que fiquei surpreendido porque já sei do que a casa gasta.A maneira como escreves continua maravilhosa.És uma pessoa espectacular.Nunca te esqueças disso.
Beijo,
Mk.

Diogo Lopes disse...

Por vezes refugiamo-nos para não sentir a rispidez da realidade mas devemos sempre arriscar para não nos afundarmos no lago da decadência para atingirmos outro patamar e caminharmos até ao Topo!

Continua com a formidável e divina escrita que só tu sabes criar!

Adoro-t mtao Sra. Excelentíssima Filósofa de garra... Betânia!

Bjao